quarta-feira, 8 de maio de 2013

Deuses e entidades: Saci

5 comentários:
 
 

O Saci é uma das mais populares lendas genuinamente brasileiras e tem sua origem (como não podeia ser diferente) entre os indígenas, mais particularmente nas tribos indíginas das missões, do sul do Brasil.
Além do nome Saci, essa entidade é também conhecida como Saci-Cererê, Saci Pererê, Matia Perê, Saci-Saçurá e Saci-Trique. E é um dos personagens do folclores brasileiro mais conhecido e popular. 

Seu nome é de origem Tupi Guarani, "Saci" vem do termo Sa'Si que significa "olho ruim" já o termo Pererê originalmente é pronunciado Matimpererê e significa "saltador". Originalmente seu nome significa "Olho ruim que salta". Segundo os mais antigos relatos de seus aparecimentos, os Sacis tinham olhos que giravam assustadoramente.

A figura do Saci originalmente surge como um ser maléfico e maldoso, por vezes brincalhão e travesso. Sendo descrito como um menino indígena com rabo de cavalo que perambulava nas matas dando sustos e causando confusão.Foi somente quando a lenda alcançou o norte do Brasil foi que o Saci começou a ser descrito como um negrinho sem uma das pernas. Atribuem a perda da perna direita por conta de uma luta de capoeira que teve, já o gorro vermelho tem sua origem inspirada no Trasgo, um ser encantado de origem portuguesa. Assim como os Sacis, os Trasgos possuem estatura pequena, usam gorros vermelhos e também possuem muitos poderes sobrenaturais. Essa imagem do Saci é conservada até os dias de hoje, segundo o relato de populares que testemunharam suas aparições.

O Saci se diverte enganando e atormentando pessoas e animais, fazendo travessuras e assustando a todos, principalmente viajantes solitários que ousam andar a noite dentro, ou, ao lado das matas. Os Sacis jamais se aventuram pelos centros urbanos, sua morada é no mato e nas florestas.
Comumente é visto fazendo travessuras que criam dificuldades domésticas, escondendo objetos necessários para os trabalhos diários, tais como vassouras, panelas e ferramentas. Trocam os conteúdos dos potes de açucar e sal. Costumam trançar os pelos dos animais, principalmente as crinas de cavalos, dos quais eles geralmente roubam para cavalgar.

A lenda do Saci é relatada desde o século XVIII.

Segundo a crença de alguns populares o Saci não é um vilão, somente um brincalhão. Ele ainda é conhecido como um importante conhecedor de ervas da floresta, fabricação de chás e medicamentos feitos de plantas.
 Ele controla e guarda os segredos e todos estes conhecimentos. Aqueles que penetram nas florestas em busca destas ervas, devem, de acordo com a mitologia, pedir sua autorização. Caso contrário, se transformará em mais uma vítima de suas travessuras.

 A crença neste personagem ainda é muito forte na região interior do Brasil. Em volta das fogueiras, os mais velhos contam suas experiências com o saci aos mais novos. Através da cultura oral, o mito vai se perpetuando. Porém, o personagem chegou aos grandes centros urbanos através da literatura, da televisão e das histórias em quadrinhos.


Quem primeiro retratou o personagem, de forma brilhante na literatura infantil, foi o escritor Monteiro Lobato. Nas histórias do Sítio do Pica-Pau Amarelo, o saci aparece constantemente. Ele vive aprontando com os personagens do sítio. A lenda se espalhou por todo o Brasil quando as histórias de Monteiro Lobato ganharam as telas de televisão, transformando-se em seriado, transmitido no começo da década de 1950.  
O Saci também aparece em várias momentos das histórias em quadrinhos do personagem Chico Bento, de Maurício de Souza.

Curiosidade: Em 2005 foi criado em caráter  nacional (com o objetivo de diminuir a importancia do Halloween) o dia do Saci (31 de outubro). Foi uma medida de valorizar o floclore nacional e diminuir a cultura norte-americana.



5 comentários:

  1. Concordo, ajudou muito em um trabalho do folclore brasileiro *obs: tao achando que as historias do folclore é coisa boa*

    ResponderExcluir
  2. Concordo, ajudou muito em um trabalho do folclore brasileiro *obs: tao achando que as historias do folclore é coisa boa*

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Já demônio ser couisa boa pra ninguém!!!

    ResponderExcluir
  5. Isso aconteceu em 1975, eu tinha 8 anos.
    Eu com a minha família morava em uma fazenda no norte do parana na cidade de Marilandia do sul, sempre acompanhava minha mãe que ia lavar roupa em uma represa que ficava no pasto perto de uma mata.
    E tinha abaixo dessa represa um riacho que vinha de dentro da mata, e eu gostava muito de ficar ali brindando enquanto minha mãe estava lavando as roupas logo acima. Foi quando um dia brincando ali escutei uns assobios muito estridente notei que até o gado que estava ali perto ficaram muito agitados.
    E aquele assobio cada vez ficava mais perto, quando vi aquele ser pequeno negro saindo de dentro da mata pulando dentro do pequeno riacho que era raso.
    Fiquei paralisado nunca tinha visto uma criatura dessa.
    Vou descrever sua fisionomia era pequeno mais ou menos um metro ,tinha um gorro acho que e isso vermelho na cabeça e tinha alguma coisa na boca não posso dizer que era cachimbo e tinha só uma perna.
    Saiu da mata e parou alguns metro em minha frente me olhou e logo virou de volta pra mata saíu pulando e assobiando e foi embora.
    O que estou relatando foi o que vi e acredito que seja um saci.

    ResponderExcluir

 
© 2012. Design by Main-Blogger - Blogger Template and Blogging Stuff